dezembro 21, 2016

"Crises Existenciais", a Sia resolveu sair do anonimato e dirigir-se às massas, já a Nelly optou por um caminho mais raro, praticamente sem precedentes numa grande estrela POP. A verdade é a de que apesar de serem caminhos opostos estes tem o condão comum de aparentemente acabarem por servir como catarse artística e até pessoal para ambas.

novembro 18, 2016

novembro 10, 2016

https://www.youtube.com/watch?v=LncJE2otRVA

outubro 23, 2016

Eu era um coleccionador...o tempo verbal não ilude. E a tentativa de escrita como esta é uma forma desesperada de crer poder resgatar o tempo para voltar conjugá-lo no presente e no futuro. A saudade, a nostalgia, a melancolia de coleccionar é grande, afinal era através de este acto de procurar e guardar que eu me definia e são me mantinha antes de sucumbir à realidade. Coleccionar pressupõe um gosto uma paixão, é igualmente preciso cuidar para que não se deixe de saber partilhar.

setembro 25, 2016

setembro 05, 2016

Warpaint - New Song (Official Audio)

Um som mais colorido, divertido ou "catchy tune" para alguns. Eu gosto, deixa-me alegremente grudado, bem como saúdo sempre a coragem de um artista que não se fica pela sua zona de conforto ou reféns da vontade das editoras e dos seus seguidores.

agosto 27, 2016

agosto 21, 2016

serendipity

agosto 12, 2016

julho 30, 2016

Perdeu a capacidade,

de sorrir

de ser espontâneo

de estar sem calcular

junho 23, 2016

abril 22, 2016

Sadistically it makes me happy

Julianna Barwick - Same

As dimensões do Amor

Robert Sternberg (1988) descreveu três aspetos distintos do amor:

 • Paixão: um estado de intensa excitação e euforia física, cognitiva e emocional.

 • Intimidade: conhecer alguém muito bem, partilhando segredos assim como sexo.

 • Compromisso: cresce gradualmente através de decisões de a díade estar junta, prestação de cuidados mútua, manter segredos, partilhar bens e existência de perdão.

abril 21, 2016

Fresco, fresquinho.

abril 19, 2016

Há uma certa ingenuidade em mim que antes simplesmente não identificava. Em mim residia a crença de que era o melhor de mim, o que me distinguia dos demais e me fazia perceber e sentir todas as vivências, enfim, sentia-me um privilegiado. Voltando à vaca fria, hoje consigo identificar em mim o conceito de ingenuidade, o que até aqui para mim simplesmente não existia, eu acreditava que não havia forma possível de existir uma palavra que incluísse uma conotação negativa que caracterizasse tal traço com a palavra ingenuidade, simplesmente não existia. Exacto...não existia, passado, hoje, é uma realidade que me foi dada a conhecer pelo julgamento social sobre esta característica que teima -mesmo que saibas que é uma invenção de quem não acredita- em te relembrar que esta é infantil, idealista e tudo que assim é no mundo da formalidade e pragmatismo é considerado uma fragilidade. Apesar de toda esta consciência, deixei-me vencer e hoje vivo e criei um paradoxo que aceito e ao revisitar as memórias deixadas neste espaço censuro-me e acho-me ridículo pois vejo essa palavra a cada canto, cada esquina, inclusivé no meio desta última reflexão.

fevereiro 25, 2016

A Cultura propriamente dita não tem que ser erudita, não tem que ser necessariamente livresca, falo, assim, de uma cultura que implica um saber, aprendido e vivido através do nosso quotidiano.